Trilha Les Loups - Conhecendo o Parc National de la Jacques-Cartier

Trilha Les Loups – Conhecendo o Parc National de la Jacques-Cartier

E lá se vão quase 4 meses desde a nossa última aventura no Mont Saint-Joseph. Era inverno e a neve ainda estava no seu auge quando fizemos a nossa última trilha. Alguns dias depois, tudo estava fechado, fomos forçados a trabalhar de casa e o mundo havia mudado para sempre. Era a famosa pandemia! Tivemos que interromper nossas trilhas por um bem maior, o isolamento social. Depois desse tempo todo e da situação no Québec ter melhorado bastante, o governo decidiu abrir a maioria dos parques e trilhas por toda a província (com novas regras e cuidados é claro). Decidimos, então, pegar a estrada e conhecer um parque que já estava na lista TO DO: O Parc National de la Jacques-Cartier.

O Parc National de la Jacques-Cartier fica a cerca de 3 horas de Montréal (30 minutos da Cidade do Québec). Ele faz parte da SEPAQ, a sociedade que gerencia a grande maioria dos parques no Québec. Escolhemos a trilha Les Loups, que leva a dois mirantes com vistas incríveis do Vallée de la Jacques-Cartier, um planalto montanhoso, repleto de vales e rios. A trilha Les Loups tem um total de 11 km ida e volta, e um desnivelamento total de cerca de 447 metros.

Estacionamento no quilômetro 16, local de início do sentier Les Loups, Parc National de la Jacques-Cartier.
Estacionamento no quilômetro 16, local de início do sentier Les Loups, Parc National de la Jacques-Cartier.

Acessamos o parque pelo Setor Vallée. O estacionamento para o início da trilha Les Loups (ou sentier Les Loups em francês) se localiza no quilômetro 16 do Chemin du Parc-National, depois do guichê de entrada. Não tem erro. A estrada contorna o rio Jacques-Cartier e você vai encontrar placas que informarão em qual quilômetro você está.

Dica: O estacionamento tem espaço limitado e o responsáveis do parque controlam a quantidade de pessoas que acessam essa trilha. Chegue cedo pra não correr o risco de não poder fazer a trilha. Saímos às 6h de casa e chegamos por volta das 9h, o estacionamento já estava lotado.

Desbravando o sentier Les Loups

O início da trilha fica no próprio estacionamento, em frente ao banheiro químico. Ela começa muito bem sinalizada e tranquila. Pra falar a verdade, a trilha como um todo é bem gostosa de ser fazer, não exigindo muito das pernas em nenhum momento. O que mais chamou a nossa atenção nos primeiros quilômetros foi o barulho das corredeiras do rio Jacques-Cartier. Difícil explicar a sensação. Depois de 4 meses sem contato direto com a natureza, estar no meio do mato, ouvindo aquilo, é sem dúvida uma experiência impagável.

Início da trilha Les Loups, Parc National de la Jacques-Cartier.
Início da trilha Les Loups, Parc National de la Jacques-Cartier.
 Bifurcação que leva ao primeiro mirante, Parc National de la Jacques-Cartier.
Bifurcação que leva ao primeiro mirante, Parc National de la Jacques-Cartier.

Chegando à bifurcação que leva ao primeiro mirante (mais ou menos na metade da trilha), resolvemos continuar e deixar essa parte para quando a gente fosse descer. Continuamos rumo ao segundo mirante, por mais ou menos 3 quilômetros. O engraçado é que nessa parte o relevo ficou mais plano e a vegetação mudou. Parecia que estávamos no começo da trilha de novo, perto do rio.

Pra quem não sabe, em regiões boreais, a vegetação perto dos rios é formada por árvores que perdem as folhas durante o inverno. Mais para o topo das montanhas, você vai encontrar mais pinheiros e um terreno mais rochoso. Aqui foi quase o contrário. Onde esperávamos um terreno mais rochoso e com muitos pinheiros, encontramos um vale de árvores verdinhas e quase plano. E foi assim até quase o segundo mirante.

Continuamos por mais algum tempo e depois de mais de 5 quilômetros de subida, estávamos enfim no segundo mirante. O mirante era uma plataforma de madeira de uns 5 x 5 metros com um banquinho e uma vista incrível para o Vallé de la Jacques-Cartier. Pra melhorar ainda mais a experiência, o clima estava perfeito. O céu estava nublado e a neblina passava rapidamente de um vale para o outro, por cima do rio.

Segundo mirante do sentier Les Loups, Parc National de la Jacques-Cartier.
Segundo mirante do sentier Les Loups, Parc National de la Jacques-Cartier.
Vista do Vallée de la Jacques-Cartier.
Vista do Vallée de la Jacques-Cartier.

Iniciando a descida

Ficamos por alguns minutos no segundo mirante aproveitando a vista. Normalmente, a gente faz uma pausa maior no cume das montanhas pra fazer a refeição e descer com mais energia. O problema é que no segundo mirante, não tinha muito espaço pra sentar, a não ser na própria plataforma (que estava bem cheia quando chegamos). Resolvemos então iniciar a descida sem reabastecer. Eu tinha visto que perto do estacionamento havia uma trilha que levava ao rio Jacques-Cartier e que a gente poderia sentar na margem do rio pra descansar o tempo que quisesse. Decisão tomada, iniciamos a descida.

Mas antes disso, paramos no primeiro mirante (lembra que deixamos ele para descida?) e tivemos outra grande surpresa. A vista era ainda mais linda e incrível. O problema foi que começou a chover e a gente não pôde ficar muito tempo. O cansaço também já falava mais alto. Queríamos chegar logo no rio para comer e descansar um pouco.

Terminando com chave de ouro

Chegando no estacionamento e ao atravessar o Chemin du Parc National, fomos em direção ao rio Jacques-Cartier. Na margem do rio, haviam várias pedras que freavam um pouco a correnteza. Falando em correnteza, vendo a força e a intensidade da água nos vimos fazendo rafting. Pra falar a verdade, foi a primeira coisa que pensamos. Lembramos da nossa experiência no rio Pacuare, na Costa Rica. Nos sentamos ali, tiramos nossas coisas e almoçamos com a vista incrível das corredeiras e ouvindo o som da água. Experiência incrível.

O Parc National de la Jacques-Cartier foi uma bela surpresa. Encontramos uma trilha com bons desafios, lindas vistas, natureza viva e exuberante. Enfim, com certeza vamos voltar pra desbravar outras trilhas e descobrir mais sobre esse lugar incrível.

Mais informações:

Sites úteis: 

Como chegar: Carro. Seguem as coordenadas do estacionamento: 47.211488, -71.396782.

Custo: cerca de 8.75 CAD por pessoa (estacionamento gratuito).

Horário de funcionamento: consulte o site do parque para saber os horários de funcionamento para cada estação/período do ano, principalmente agora durante a pandemia. 

Dificuldade: moderada.

O que levar: tênis/botas e roupas apropriados para hiking e para a época do ano correta. Bastões de trekking são recomendados. Leve um lanchinho (pão, bolo, barra de cereal, banana, etc.) e pelo menos 1 litro de água. Protetor solar e óculos escuros também são importantes.

QUER APOIAR O FÉRIAS CONTADAS??

Você pode apoiar o nosso filho Ferias Contadas de várias formas: curtidas, comentários e compartilhamento dos posts, inscrição na newsletter e o céu é o limite (até massagem no pé tá valendo hehehe)!

CLIQUE AQUI pra saber como!

Deixar uma resposta