O Mont Ham - O nosso melhor hiking de inverno

O Mont Ham – O nosso melhor hiking de inverno

O Mont Ham é uma das montanhas que entrou pra nossa lista de melhores hikings quando a gente desbravou a montanha pela primeira vez em 2018. O seu cume principal fica a 713 metros, a subida é desafiadora e lá de cima você tem uma visão completa de toda a região. A montanha fica no Parc Régional du Mont Ham, que fica umas 2 horas de carro de Montreal e uns 40 minutos de Sherbrooke. Dessa vez decidimos conquistar o cume do Mont Ham em pleno inverno canadense. Nesse dia em particular, fez -16 graus, mas a temperatura deu uma caída no decorrer do dia.

Saímos de casa as 8h30 da manhã. A gente planejou começar o hiking lá pelas 11 horas. O parque possui várias trilhas que te levam ao cume. Na primeira vez que fomos, optamos por subir pela rota Intrepide e descer pela Paronamique. Aconselho muito você fazer dessa forma. A trilha Intrepide é mais curta, com uma ascensão mais íngreme, te trazendo mais desafios. Na descida, a Paronamique te dá uma oportunidade descer com mais tranquilidade e ao mesmo tempo aproveitar a vista da montanha.

Subindo o Mont Ham

Início da trilha ao cume do Mont Ham - Parc Régional du Mont Ham.
Início da trilha ao cume do Mont Ham – Parc Régional du Mont Ham.
Mapa de todas as trilhas que levam ao cume do Mont Ham.
Mapa de todas as trilhas que levam ao cume do Mont Ham.

Colocamos os crampões e começamos a trilha. A neve inicialmente estava bem compactada, excelente para o uso de crampões. No início todas as trilhas compartilham o mesmo caminho, até começarem as bifurcações. Seguimos os avisos que levavam a trilha Intrepide e não deu erro. Depois que a gente já estava nela, a inclinação aumentou consideravelmente e a neve começou a ficar mais fofa. A sensação era que estávamos andando em areia. Os crampões não estavam dando muito suporte e os trekking poles afundavam na neve. Decidimos subir sem os gaiters, porque a gente achava que a neve estaria bem dura e as pernas não iriam afundar. Mera ilusão.

Bifurcação entre a trilha Paronamique e Intrepride.
Bifurcação entre a trilha Paronamique e Intrepride.

Continuamos subindo até chegar as sessões onde cordas foram instaladas para ajudar na subida. A primeira foi bem tranquila, uma pequena sessão com bastante gelo e bem fácil de subir. Já a segunda, tivemos que ter mais atenção. Era bem maior e o local de ancoragem dos pés tinha que ser bem calculado para evitar uma queda. Depois dessa última sessão de corda, a vegetação começou a desaparecer e o cume parecia estar mais perto. Era somente neve, por todos os lados, cortada pela trilha feita pelas pessoas que subiram anteriormente.

Parte final antes de chegar ao primeiro cume.

Nessa altura, demos um ataque de riso, os dois! Isso porque ficou tudo muito gostoso! Parecia alta montanha. O vento aumentou e a sensação de desafio aumentou junto. A adrenalina tomou o corpo e a gente começou a subir com mais vontade! A gente queria alcançar o cume!

Vento forte no cume do Mont Ham

Passada a parte final da subida, tínhamos vencido o primeiro cume, de onde a gente já tinha uma visão incrível da região e do segundo cume, a uns 300 metros de distância dali. Gabriela começou a dançar de alegria e eu a sorrir! Eu adoro essa sensação! Dali, a gente já sentia o vento aumentando. Faziam -14 graus na base da montanha. Com o vento no cume, passava facilmente dos -20 graus. A gente iniciou uma pequena descida pra fazer outra subida até o cume principal. O vento deu uma trégua nessa parte até começar a soprar mais forte na subida final até o cume.

Ascensão final ao cume do Mont Ham, à 716 metros. A neve estava bem fofa e ventava muito!
Ascensão final ao cume do Mont Ham, à 716 metros. A neve estava bem fofa e ventava muito!

No cume, a neve estava muito mais fofa do que o esperado. A gente subiu rapidamente e não havia quase ninguém por lá. A neve estava duríssima e o vento incontrolável. Não dava para abrir os olhos de tanto vento e frio. A gente tinha planejado fazer uma parada no cume, comer, tirar várias fotos e iniciar a descida. Será que a gente iria continuar com o plano com aquele vento forte e naquele frio?

Cume do Mont Ham. Esse foi sem dúvida o nosso melhor hiking de todos durante os meses de frio aqui nas redondezas de Montreal.
Cume do Mont Ham. Esse foi sem dúvida o nosso melhor hiking de todos durante os meses de frio aqui nas redondezas de Montreal.

Descendo a montanha

Com aquele vento, a gente não pensou duas vezes, tirou só algumas fotos bem rápidas e começou a descida correndo. Pra piorar, o meu pé começou a sentir o frio (mesmo com duas camadas de meias próprias para esse tipo de atividade). A descida, mesmo mais longa, foi bem mais rápida. A gente descida correndo. Uma das vantagens de fazer hiking na neve é que o impacto na descida é bem menor do que sem a neve. A gente aproveitou e correu a descida, em alguns momentos quase esquiando. Com o movimento e a descida, a temperatura aumentou um pouco e o vento já tinha acabado.

Por mais que o vento não tenha deixado a gente aproveitar ao máximo o cume do Mont Ham, a experiência foi incrível e inesquecível. Aproveitamos cada parte da trilha, na subida e na descida. Foi uma verdadeira aventura. O Mont Ham já estava na nossa lista de melhores hikings, agora ele está no top 5, sem sombra de dúvidas!

Mais informações:

Sites úteis: 

Como chegar: Carro. Seguem as coordenadas do estacionamento: 45.779840, -71.642948.

Horário de funcionamento:

08:30 às 17:00 (seg à quinta) & às 19:00 (sex à dom) durante os meses de inverno.

08:30 às 20:00 durante os meses de verão.

Custo: cerca de 8 CAD por pessoa (estacionamento gratuito).

Dificuldade: moderada.

O que levar: tênis e roupas apropriados para hiking e para a época do ano correta. No inverno, campões e/ou raquetes são obrigatórios. Bastões de trekking são recomendados. Leve um lanchinho (pão, bolo, barra de cereal, banana, etc.) e pelo menos 1 litro de água. Protetor solar também são importantes e óculos escuros para o cume.

Quer apoiar o Férias Contadas?

Sabe aquela coisa de que você não precisa ser milionário pra ajudar os projetos que você acredita? Pois bem! É assim que a gente funciona. Você pode apoiar o nosso filho Ferias Contadas de várias formas: curtidas, comentários e compartilhamento dos posts, inscrição na newsletter, apoio financeiro e o céu é o limite (até massagem no pé tá valendo hehehe)!

Quer apoiar a gente? CLIQUE AQUI pra saber como!

Deixe um comentário!