Nosso Roteiro pelo Equador – Quito e arredores

O nosso principal objetivo em visitar o Equador era subir o Cotopaxi. Para isso, planejamos um programa de aclimatação para aumentar o sucesso e diminuir as chances de ter o famoso mal de altitude. Quito foi escolhida como a nossa…

O nosso principal objetivo em visitar o Equador era subir o Cotopaxi. Para isso, planejamos um programa de aclimatação para aumentar o sucesso e diminuir as chances de ter o famoso mal de altitude. Quito foi escolhida como a nossa cidade base. Ponto de partida de todos os nossos hikings e subidas. Durante o tempo livre tentamos conhecer o que Quito tem de melhor. Dá uma olhada como foi.


Por assunto:

  1. Como chegamos
  2. Onde nos hospedamos
  3. O que fizemos

Como chegamos

Chegamos à Quito vindos do Canadá pela AeroMéxico. Gostamos bastante do serviço e a conexão na Cidade do México foi muito mais comoda do que se tivesse sido no Panamá. O voo de Toronto à Cidade do México e de lá até Quito tiveram duração de 4h e alguns quebrados cada um. Nada mal, não?

Onde nos hospedamos

Em todas as noites que passamos em Quito, ficamos hospedados no Centro Histórico. Exite uma corrente que diz para se hospedar no bairro La Mariscal. Entendo. Um bairro mais jovem, novo, mais vibrante durante a noite. Mas o Centro Histórico me agradou bastante. O hostel que ficamos foi o Masaya Hostel. Sem dúvida, o melhor hostel que ficamos até aqui, de longe! Limpo, organizado, repleto de serviços e conveniências, e sua localização era perfeita. Pertinho das principais atrações do centro histórico e da Calle La Ronda, conhecida pela sua noite agitada.

Booking.com

O que fizemos

Centro Histórico de Quito

Passear pelo centro histórico de Quito é uma experiência a parte. É considerado um dos mais bem preservados de toda a América Latina e de quebra é tombado pela Unesco, como o primeiro patrimônio cultural da humanidade em 1978. Quer mais?

Os prédios históricos estão em excelente estado de preservação e o interior das igrejas é de impressionar, principalmente na Iglesia de la Compañía de Jesús e na Basílica del Voto Nacional. Tire um dia inteiro para conhecer tudo, é mais que o suficiente.

Plaza de la Independencia

Monumento a la Independencia, Quito.

Principal praça da cidade de Quito e centro histórico e político da capital equatoriana. Ela concentra as principais instituições do país, como o palácio presidencial (Palacio de Carondelet), a Catedral Metropolitana de Quito e a prefeitura da cidade, além do monumento mais importante, o Monumento a la Independencia, dedicado aos heróis da independência de 10 de agosto de 1809. Quando a gente visita as praças principais, uma coisa que a gente adora fazer é simplesmente sentar em um banco e ver a vida passar e acontecer na nossa frente.

Palácio de Carondelet

Palácio de Carondelet.

É a sede do governo do Equador e a residência oficial do presidente da república. Se você tiver sorte, poderá ver a troca da guarda presidencial e quem sabe o próprio presidente do Equador, que costuma acompanhar a cerimônia. Para mais informações sobre horários de funcionamento e sobre as visitas guiadas, você pode acessar esse link.

Catedral Metropolitana de Quito

A Catedral Metropolitana de Quito é sede da arquidiocese de Quito e a igreja mais antiga do Equador. Sua história remonta 1535, ano de fundação da cidade de Quito, e quando a primeira igreja foi erguida onde hoje seria a atual capital. A igreja foi reconstruída no final do século XVII, após uma erupção do vulcão Guagua Pichincha ter destruído a cidade no ano de 1660.

A igreja possui uma mistura de estilos arquitetônicos diferentes, como, por exemplo, o neoclássico e o neogótico. O que mais impressionou, foram as cores utilizadas no altar principal. Nunca tinha visto nenhuma igreja com tons de verde, azul e amarelo como vi aqui. Além da beleza visual e arquitetônica, o lugar abriga os mausoléus de Juan José Flores, o primeiro presidente do Equador, e Antonio José de Sucre, um dos heróis da independência no país. Para mais informações sobre horários de funcionamento e preços (a entrada é paga), você pode acessar esse link.

Calle de las 7 cruces

Calle des las 7 cruces, Quito.
Calle des las 7 cruces, Quito.

A Calle de las 7 cruces, ou oficialmente chamada de Calle Garcia Moreno, é uma das principais ruas de Quito. O nome já diz muita coisa. Você vai encontrar 7 igrejas construídas ao longo da rua. Em uma das pontas, se encontra Plaza de la Independencia, e na outra, o Panecillo.

Iglesia de la Compañía de Jesús

Iglesia de la Compañía de Jesús

A mais impressionante de todas as igrejas de Quito. Seu interior é totalmente folheado a ouro. Fotos não são permitidas e o acesso é pago (USD 10). Aqui também foi enterrado o corpo do presidente Gabriel García Moreno, um dos presidentes mais venerados do Equador, e que foi assassinado em frente ao Palácio de Carondelet.

Local onde Gabriela García Moreno foi assassinado.
Local onde Gabriela García Moreno foi assassinado.

Se você tem curiosidade, na parte da frente do palacio é possível ver uma placa que indica o local exato da morte de Gabriel García Moreno.

Plaza e Iglesia San Francisco

 Plaza e Iglesia San Francisco, Quito.
Plaza e Iglesia San Francisco, Quito.

Praça e igreja de mesmo nome, ambos valem a visita. O interior da igreja é também revestido em ouro e bem imponente.

Plaza e Iglesia de Santo Domingo

Era a praça mais próxima do nosso hostel e de onde a gente pegava a maioria dos ônibus quando se locomovia com o transporte público de Quito. Vale a pena a visita pra bater perna e conhecer um pouco mais sobre a cidade.

Basílica del Voto Nacional

Possui uma arquitetura gótica totalmente diferente das demais igrejas da cidade. Chega a lembrar a Catedral de Notre-Dame de Paris de tão imponente que é. O detalhe interessante é que você pode visitar os terraços da igreja que são acessíveis ao público. Dá pra ver a cidade de Quito de lá de cima. O único problema é conseguir subir, pois, as escadas são bem estreitas e não é todo mundo que tem coragem de se arriscar por ali.

TelefériQo

Mesma regra vale para Bogotá. Se for a Quito, não deixe de ir ao TelefériQo. A forma mais simples de ir até à estação base do teleférico é de táxi. Do centro histórico até lá, uma corrida vai te custar no máximo 4 dólares. A viagem ida e volta custa USD 8.50 para estrangeiros.

Vista na subida do teleférico.

Além da vista incrível de Quito e dos arredores (se tiver sorte, vai poder ver quase todos os principais vulcões da redondeza), você pode lanchar ou fazer uma pequena caminhada até um dos mirantes. Entretanto, uma das coisas mais legais pra se fazer quando se usa o TelefériQo é subir até o cume do Rucu Pichincha (confere aí embaixo) ou simplesmente admirar a vista da cidade de Quito lá do alto.

Vulcão Rucu Pichincha

Vulcão Rucu Pichincha.
Vulcão Rucu Pichincha.

Se você curte uma boa caminhada com um pouco de adrenalina, sugiro fortemente você tentar subir o vulcão (inativo) Rucu Pichincha. A trilha é bem sinalizada na maior parte do tempo e o vulcão, com ponto mais alto à 4698 metros de altura, é uma das principais atividades de aclimatação se você almeja subir montanhas maiores no Equador. Foi o que fizemos e recomendamos bastante.

✅ A gente preparou o livreto “Trilhando o Rucu Pichincha – O Guia Completo”, onde respondemos à todas as perguntas sobre a trilha ao cume do vulcão Rucu Pichincha (custos, como chegar, o que levar, melhor época pra fazer, etc.). E o melhor? É DE GRAÇA! Ficou interessado? Dá uma olhada nesse link.

Iliniza Norte

Vista da trilha rumo ao cume do Illiniza Norte.
Vista da trilha rumo ao cume do Illiniza Norte.

Os Illinizas, um conjunto de duas montanhas que eram antigamente um só vulcão, hoje extinto. É um ponto turístico muito conhecido pelos amantes da altitude. Não é muito comum vir conhecer uma das duas montanhas sem ter um plano maior pela frente, como, por exemplo, subir o Cotopaxi ou qualquer outro vulcão/montanha da redondeza. Foi o que fizemos. Subimos o Illiniza Norte, a menor das duas montanhas com 5126 metros de altura. Vale a pena! Assim como o Cotopaxi, o acesso ao Illiniza é feito normalmente com uma agência.

✅ A gente preparou o livreto “Rumo ao Cume do Illiniza Norte – O Guia Completo”, onde respondemos à todas as perguntas sobre como foi conquistar o cume do Illiniza Norte (custos, como chegar, o que levar, melhor época pra fazer, etc.). E o melhor? É DE GRAÇA! Ficou interessado? Dá uma olhada nesse link.

Vulcão Cotopaxi

O vulcão Cotopaxi é um dos principais destinos no Equador, pois oferece de tudo. É o vulcão mais ativo do Equador com 5897 metros. Para ter acesso ao Cotopaxi, normalmente você terá que contratar os serviços de uma agência.

Refúgio José Rivas, Cotopaxi.
Refúgio José Rivas, Cotopaxi.

Para os curiosos, você pode subir até o refúgio e tomar um chá com bolo quentinho. Pros que querem descanso, você pode se hospedar em umas das várias haciendas dentro do Parque Nacional Cotopaxi e ficar admirando o silêncio e a vista. Você pode fazer passeios a cavalo ou de bicicleta com o vulcão de plano de fundo. E para os aventureiros e corajosos, você também pode descer parte do vulcão de bicicleta ou subir ao cume do Cotopaxi. Já adianto que subir ao cume do Cotopaxi não foi fácil, mas a experiência vale a pena. Resumindo, se você for ao Equador e não conhecer o Cotopaxi, você vai se arrepender muito! Vai por mim.

Descida após conquistar o cume do Cotopaxi!
Descida após conquistar o cume do Cotopaxi!

Conclusão sobre Quito

Essa primeira parte da nossa visita ao Equador foi muito intensa. A cidade de Quito, além de ser nossa base durante quase 10 dias, foi também a nossa casa. Foi uma bela surpresa e gostamos bastante de cada rua e atração. Não tenho nem palavras para descrever os arredores, as coisas que fizemos a partir de Quito. A mais marcante vai ser sem dúvida, ter subido ao cume do Cotopaxi. Só de lembrar, já dá saudade…

Gostou do post?

Você acha que ele pode ser útil pra mais alguém? Compartilhe! E olha, o post não acaba por aqui. Estamos curiosos pra saber as suas sugestões, opiniões e dúvidas aqui embaixo nos comentários!

Quer apoiar o Férias Contadas?

Sabe aquela coisa de que você não precisa ser milionário pra ajudar os projetos que você acredita? Pois bem! É assim que a gente funciona. Você pode apoiar o nosso filho Ferias Contadas de várias formas: curtidas, comentários e compartilhamento dos posts, inscrição na newsletter, apoio financeiro e o céu é o limite (até massagem no pé tá valendo hehehe)!

Quer apoiar a gente? CLIQUE AQUI pra saber como!

Deixe um comentário!