Oi, me chamo Marcos Amaral

Viajar pra mim sempre foi mais do que somente ir para outro lugar, tirar fotos ou contar o número de países que já visitei. Pra mim, viajar é viver experiências, sentir sensações únicas. Adoro escrever sobre elas. Mais do que um relato, tento traduzir o que vivi pra fazer você viajar comigo. Sou casado com a Gabriela e hoje, viajamos pelo mundo em busca de experiências únicas.

2 Replies to “Vulcão Cotopaxi – O ataque ao cume

  1. Marcos. O seu relato ajudou e muito a entender essa aventura. Só estou com umas dúvidas: Entendi que para subir o vulcão você carregou uma mochila pequena. E a mochila grande ? Ficou no refúgio:? Tem armário no refúgio, para deixar a mochila grande e alguns objetos pessoais ?
    Desde já agradeço a sua atenção

    1. Fala Bruno, tudo bom?

      Que bom saber que o meu relato te ajudou nisso! Você está planejando subir o Cotopaxi por agora?

      Com relação as mochilas, eu tinha essa mesma dúvida quando comecei as conversas com a agência. Eu não cheguei a ver nenhum armário nos dormitórios. Todos deixaram as mochilas em cima das camas no dormitório do Refugio. Como todo mundo ali se conhece e o acesso é meio que restrito só pra quem vai escalar o vulcão, é relativamente seguro.

      Minha dica é levar o que for de extremo valor (dinheiro, cartões, passaporte, etc.) com você para o cume. Não é nada que vai te atrapalhar. O resto, deixa na mochila que é seguro, não tem erro.

      Outra coisa que é super válido dizer é o tamanho das mochilas. Uma mochila de 70L pra subir o material até o refugio é mais do que suficiente. Pro cume, eu fui com uma de 20L e foi a conta. Não vou dizer que foi ruim ou bom, foi a conta. Se você me perguntasse hoje, eu diria que uma mochila de 30L seria bem mais interessante. Eu poderia distribuir melhor o peso e deixar a subida um pouco mais confortável.

      Se precisar de mais alguma informação, não deixa de perguntar!

      Grande abraço.

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *