Uma ilha paradisíaca chamada Ko Nang Yuan


Não eram nem 8h da manhã e já estávamos em Sairee Beach a procura de um barco para ir à Ko Nang Yuan. Vários longboats já estavam a espera dos turistas ao longo da praia. Um dos barqueiros acenou, pulou do barco e veio em nossa direção. Seria a nossa primeira viagem de longboat na Tailândia. Após negociar o preço e o horário de retorno, o barqueiro nos informou que a ilha só abriria as 10 da manhã. Como assim abriria? Uma ilha não tem horário de funcionamento, não é?

E lá estávamos em Ko Nang Yuan. Fomos os primeiros turistas a chegar na ilha. A confirmação do horário de abertura foi imediata. Não deu nem para conversar:

— “A ilha é privada, abre as 10”, dizia a pessoa na entrada com cara de indiferença. Ela deve ter dito essa frase muitas vezes… todo novo turista que chegava fazia a mesma pergunta, e a mesma resposta era dada. Não tivemos outra escolha a não ser esperar.

10 horas e a ilha abriu suas portas. Fomos rapidamente em direção ao viewpoint. A subida foi bem tranquila, com degraus em praticamente todo o caminho. O local era só nosso e ficou assim por uns bons 20 minutos até o próximo turista requisitar seu espaço no topo da ilha.

Lá de cima dava pra ver como Ko Nang Yuan era de fato um paraíso. São duas ilhas ligadas por uma faixa de areia branquinha, bem estreita. A água do mar variava de azul à verde, com diferentes contrastes e tons. A visita ja teria válido a pena só pela vista que tínhamos lá do alto. 

Descemos do viewpoint, sentamos em uma das inúmeras barraquinhas que se dispunham ao longo da faixa de areia e relaxamos durantes as próximas horas. Ir tão cedo teve suas vantagens. A ilha estava quase vazia. A multidão de turistas só chegaria horas depois, com a barulheira, guias gritando e pessoas e mais pessoas se amontoando no mar para fazer snorkel.

A ilha ficaria vazia novamente após o almoço. Aproveitamos mais um pouco mas já era hora de partir. O longboat já estava chegando e tínhamos que deixar o paraíso. Ko Nang Yuan deixaria boas lembranças.

O que você achou?

Adoraria saber sua opinião, sugestões e perguntas nos comentários abaixo.

Oi, me chamo Marcos Amaral

Viajar pra mim sempre foi mais do que somente ir para outro lugar, tirar fotos ou contar o número de países que já visitei. Pra mim, viajar é viver experiências, sentir sensações únicas. Adoro escrever sobre elas. Mais do que um relato, tento traduzir o que vivi pra fazer você viajar comigo. Sou casado com a Gabriela e hoje, viajamos pelo mundo em busca de experiências únicas.

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *