Parque Tayrona e o Cabo San Juan


Era dia de trilha, natureza e praia. O destino não era qualquer um. Era um dos mais importantes da Colômbia, o famoso Parque Tayrona. Nossa primeira parada seria o Cabo San Juan.

Na chegada ao setor Zaino, descemos do ônibus enquanto o nosso guia comprava nossas entradas para o parque. O Parque Nacional Natural Tayrona tem vários pontos de entrada e todos eles são pagos (colombianos pagam menos do que estrangeiros). Durante esse tempo, muita gente aproveitou para comprar repelente, água e mantimentos em mas banquinhas do outro lado da rua.

Dica: Falando em repelente, compre da marca Nopikeks. Deixe para comprá-lo em Santa Marta, pois só lá você vai encontrar. Vimos várias pessoas usando outros repelentes (inclusive o famoso Off) e voltando com picadas do tamanho de morangos. Com o Nopikeks não tivemos nenhuma picada!

Depois de uma pequena palestra sobre o parque na entrada, o ônibus nos deixou no ponto inicial da trilha. Seria 2 horas de caminhada até Cabo San Juan. A trilha começou bem tranquila, dentro da floresta, com um caminho de madeira sem muitas subidas. Entretanto, não demorou muito pras subidas aparecerem. Vimos várias pessoas que não foram preparadas para o tranco, principalmente idosos, desistindo e voltando para o ponto de partida.

O cansaço batia a cada novo degrau. Mas a surpresa estava por vir. Um dos momentos mais marcantes da viagem pra mim e pra Gabriela foi quando vimos o mar entre as árvores depois de mais de 3 anos de separação forçada. Parece besteira, mas parecíamos duas crianças de tanta alegria e só era a primeira praia de toda a trilha. A sensação foi ainda maior quando o caminho se tornou só areia e as árvores desapareceram para dar lugar ao mar.

Após 30 minutos caminhando, fizemos nossa primeira parada para tomar água de coco. O diferencial era que os cocos eram vendidos pelos índios da região e quem cortava os cocos era um menino/menina (não soubemos diferenciar) de uns 10 anos de idade. Esse(a) pequenino(a) manuseava o facão melhor do que qualquer um de nós. No final ainda pedimos para abrir os cocos. Só quem ama coco sabe do que estou falando.

Passamos por alguns acampamentos, trilhas enlameadas e mais algumas praias paradisíacas, porém, perigosas. Não havia um só momento em que não nos surpreendemos com a paisagem.

A chegada em Cabo de San Juan foi perto da hora do almoço. O guia nos deu 3 horas para aproveitar o local. Não perdemos tempo e fomos diretamente para a praia para matar a saudade do mar e descasar um pouquinho da caminhada. Aproveitamos o máximo possível e deixamos um tempinho reservado para o almoço mais para o final.

Cabo San Juan, Parque Tayrona.

Falando da praia, a água verde clara estava morninha e bem cristalina. Além disso, como o acesso ao local não é tão simples, a praia não é cheia e isso pra gente é muito importante! Só não invente de andar descalço, pois o sol é muito forte e quase queimamos os pés na areia quente da praia.

Após o almoço, era hora de voltar. O passeio que contratamos era de um dia só, mas você pode fazer isso tudo por conta própria e dormi em Cabo San Juan. O caminho de volta foi um pouco mais complicado, tenho que confessar. Já não estávamos com o pique inicial. O que nos motivava a continuar caminhando era o simples fato de chegar no hostel, tomar um bom banho e dormir.

Cabo San Juan foi uma experiência incrível. Em um mesmo dia fizemos uma trilha pela floresta, tomamos água de coco e vimos e aproveitamos lindas praias! Foi um dia para guardar na memória. Agora sabemos o porquê de Cabo San Juan ser tão amado por todos os viajantes que passam por lá.

Mais informações

Site oficial: Parque Nacional Natural Tayrona.

Como chegar: O acesso à trilha que leva ao Cabo San Juan fica um pouco afastado de Santa Marta. Por isso, contratamos todo o percurso com a agencia Magic Tour Colombia em Santa Marta, que incluía também o guia e as entradas do parque Tayrona. Outra forma de ir para Cabo San Juan é através de Taganga, uma pequena cidade perto de Santa Marta. Lá, você pode pegar um ônibus para Setor Zaino. Entretanto, recomendo o passeio pela agência, para evitar dor de cabeça.

Horário de funcionamento: Aberto durante o ano todo, de segunda à sexta das 8:00 às 17:00. Existem acampamentos dentro do parque onde se pode dormir, então o horário de funcionamento é mais para quem vai e volta no mesmo dia. 

Custo: 42000 COB para estrangeiros e 16000 para colombianos.

Dificuldade: fácil mas um pouco cansativa.

O que levar: tênis e roupas apropriados para trekking e também roupa de banho. Leve pelo menos 2 litros de água. Repelente para mosquitos de boa qualidade e protetor solar também são muito importantes.

Muitas pessoas do nosso grupo não foram preparadas (na maioria das vezes, foram achando que só teria praia e nada de trilha!) e pagaram o preço. São 2h de caminhada dentro da floresta, na areia, em pedras, lama, etc. Então, essa dica é extremamente importante.

O que você achou?

Adoraria saber sua opinião, sugestões e perguntas nos comentários abaixo.

Oi, me chamo Marcos Amaral

Viajar pra mim sempre foi mais do que somente ir para outro lugar, tirar fotos ou contar o número de países que já visitei. Pra mim, viajar é viver experiências, sentir sensações únicas. Adoro escrever sobre elas. Mais do que um relato, tento traduzir o que vivi pra fazer você viajar comigo. Sou casado com a Gabriela e hoje, viajamos pelo mundo em busca de experiências únicas.

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *