Nosso roteiro pelo Vietnã – Hanói


Hanói foi a nossa segunda parada no Vietnã depois de conhecer Hoi An. Ficamos somente 3 dias na cidade e posso dizer que levamos um choque. Hanói é a verdadeira bagunça. A anarquia em formato de ruas e prédios que não seguem nenhum padrão. Isso é visto também no trânsito, atração turística a parte da cidade. Hanói foi sem dúvida um lugar que tivemos boas experiências e onde todos os nossos sentidos foram testados ao limite.


Por Assunto:

  1. Como chegamos
  2. Onde nos hospedamos
  3. O que fizemos

Como chegamos

De avião, vindos de Hoi An. Compramos a passagem pela companhia Vietnam Airlines. Entretanto, quase todas as companhias do país disponibilizam voos diários entre Hoi An e Hanói. Escolhemos a Vietnam Airlines pois as demais têm reputação de atrasos e cancelamentos. Como estávamos com o cronograma bem apertado, não poderíamos correr o risco e pagamos um pouco mais caro pela passagem. No final, nenhum imprevisto aconteceu. Pagamos cerca de 65 US dólares pelo voo.

Reservamos um transfer do aeroporto ao hostel diretamente com o hostel nos dias anteriores por USD 18 e foi super tranquilo. O preço é meio que tabelado, então não sei se você vai conseguir preços melhores.

Onde nos hospedamos

Todas os dias que ficamos em Hanói foram no Hanoi Old Quarter Hostel. Como o próprio nome diz, ele fica no Old Quarter, bem pertinho das principais atrações da cidade. Gostei bastante da estrutura do prédio, apesar de ser um prédio espremido entre outros. O café da manhã estava incluso e era completo e suficiente para passar o dia. A diária custáva USD 30.00 (em 2018). Recomendadíssimo!


Leia mais sobre o Vietnã


O que fizemos

Atravessar uma rua movimentada de Hanói

Atravessar uma rua movimentada de Hanói

Você vai passar por isso sem dúvida nenhuma. Eu diria que é uma atração turística a parte. São milhares de motos e carros passando e você como pedestre tem que se enfiar no meio deles para chegar ao outro lado da rua. Escrevi minhas impressões sobre Hanói aqui, onde explico passo a passo o método de como atravessar a rua. Confere lá.

Old Quarter

Old Quarter de Hanói.

Foi a primeira coisa que visitamos em Hanói. Chegamos no começo da tarde e perambulamos um pouco no Old Quarter. Ali você vai ter uma ideia do que é o Vietnã e de como era Hanói anos atrás, antes da modernização chegar. Você vai ver de tudo um pouco. Restaurantes, hotéis, mercados, pessoas vendendo coisas nas ruas, carros e motos indo e vindo sem nenhuma organização e tudo que você puder imaginar. Pra mim, foi uma das partes mais legais de Hanói. É lá também que estão os restaurantes mais tradicionais da cidade.

Lago Hoàn Kiêm

Logo depois de conhecer o Old Quarter, fomos para o lago Hoàn Kiêm. Ele fica bem no coração da cidade, pertinho da zona mais nobre de Hanói (onde você vai encontrar as lojas das altas grifes e o Opera House de Hanói). O lago é cercado por árvores imensas e por flores de todas as cores. Como Hanói é bem quente durante o ano todo, muitos habitantes locais vão para o lago se refrescar (inclusive durante a noite), já que o clima ali é um pouco mais ameno.

Aproveite também pra relaxar curtindo a vista do lago no terraço de algum café nos arredores. Um dos mais famosos é o Avalon Cafe Lounge. Tanto de dia como de noite, visitar o lago Hoàn Kiêm vai ser sem dúvida um boa experiência.

Ponte Huc e Templo Ngoc Son

30000d – 8:00 às 18:00, todos os dias

É no lago Hoàn Kiêm que se encontra a ponte Huc que dá acesso ao templo Ngoc Son, também conhecido como Templo da Montanha de Jade. É o templo mais visitado e um dos mais importantes de Hanói. Vá para a parte de trás do templo, onde você terá uma visão privilegiada do lago Hoàn Kiêm.

Dica: fique atento somente com o que você está vestindo. Se não for “adequado” (cobrindo os joelhos e os braços por exemplo), você será obrigado a pegar uma manta na entrada do templo. É gratuito, mas a manta parece um jaleco de hospital. Portanto, se quiser boas fotos, vá com a roupa adequada.

Torre da Tartaruga

Diz a lenda que Le Loi, herói vietnamita que libertou o país da China, recebeu do deus das tartarugas douradas, uma espada mágica que o ajudou a derrotar os chineses. A espada foi devolvida e estaria sob proteção de uma tartaruga gigante no fundo do lado.

No local exato onde se acredita que tudo aconteceu, existe uma pequena ilha onde a Torre da Tartaruga foi construída. A ilha não pode ser visitada, mas o que vale aqui é a sua beleza, principalmente durante a noite, quando toda a torre fica iluminada.

Caminhar sobre os trilhos em Hanói

Uma coisa legal de se fazer é passear pelos trilhos de trem que penetram a cidade em vários pontos. O interessante é que os trilhos ficam a poucos metros (poucos mesmo) das casas, coisa difícil de acreditar. A atração está ficando cada vez mais conhecida entre os turistas ocidentais.

Catedral Saint-Joseph

Herança da colonização francesa, a Igreja Saint-Joseph é um ponto que você não pode deixar de conhecer em Hanói. Quando fomos, a igreja estava fechada, então só deu pra conhecer a parte exterior. Entretanto, o local onde a igreja está é bem charmosinho. Não deixe de tomar um cafézinho ou drinque em um dos cafés que ficam na praça em frente à igreja Saint-Joseph. Vai te render boas fotos e uma bela experiência.

Prisão de Hoa Lo

30000d – 08:00 às 17:00, todos os dias

Chegamos a ir até o prédio onde fica a famosa prisão de Hoa Lo, mas decidimos não entrar. Ela foi usada durante anos como prisão para os opositores à colonização francesa e durante a guerra, como prisão para soldados americanos e opositores do regime norte-vietnamita.

Hoje, o local é um museu que conta a história da prisão e também da guerra do Vietnã, mas do ponto de vista dos Vietnamitas. O museu ocupa somente uma parte do que foi a prisão durante a guerra, então não vá esperando uma super experiência sensorial. Foi lá também que o ex-vice-presidente americano John McCain ficou preso depois que o seu avião foi abatido pelo exército de Ho Chi Minh.

Templo da Literatura

30000d – 07:30 (verão) ou 08:00 (inverno) às 18:00, todos os dias

Pra mim, um dos lugares mais incríveis de Hanói. Tire pelo menos uma manhã pra conhecer bem e andar por todo o complexo. O Templo da Literatura nada mais é do que a primeira universidade do Vietnã e abriga um Templo Confucionista. O que mais impressiona na minha opinião são os grandes portais que levam até o templo principal e o templo em si. O local é totalmente arborizado e bem preservado.

Torre da Bandeira de Hanói

40000d – 08:00 às 11:30 – 13:00 às 16:30, todos os dias (exceto segundas e sextas)

Torre da Bandeira de Hanói

A torre da bandeira de Hanói é passagem obrigatória se você está indo do Old Quarter para conhecer a Cidadela ou o Complexo Ho Chi Minh. Ela fica no local exato onde estava o quartel general do exército do norte-vietinamita durante a guerra. Hoje, o local abriga um museu militar, com várias aeronaves (inclusive americanas).

Cidadela Imperial de Thăng Long

30000d – 08:00 às 17:00, todos os dias (exceto segundas)

Cidadela Imperial de Thang Long.

Um exemplo perfeito da antiga Hanói antes da chegada dos franceses no século XXI. A Cidadela foi o centro administrativo do império vietnamita por séculos, até a capital ser transferida para Hue. Na chegada dos franceses, foi quase destruída e as marcas das balas de canhão ainda podem ser vistas em algumas partes dos muros.

Dentro da Cidadela, você também pode conhecer abrigos antibombas e algumas salas usadas durante a guerra onde o exército do norte se reunia e tomava decisões. Bem interessante a visita.

Complexo Ho Chi Minh

Mausoléu: Gratuito – 07:30 às 10:30, terças à quintas e 07:30 às 11:00, nos sábados e domingos

Museu: 10000d – 08:00 às 11:30 – 14:00 às 16:30, todos os dias (exceto segundas e sextas)

Aqui estão localizados o mausoléu do líder vietnamita Ho Chi Minh assim como o museu dedicado à ele e a contar também o lado do Vietnã da guerra que arrasou o país anos atrás. A gente não chegou à visitar nem um dos dois. Primeiro, porque não queríamos ver o corpo do ex-líder do país e segundo, que o museu estava fechado quando visitamos o lugar (uma sexta-feira).

Complexo Ho Chi Minh.

Mas se você quer muito ver o corpo embalsamado de Ho Chi Minh, é só se informar direitinho, pois a visitação é aberta ao público em dias e horas específicos e a fila costuma ser grande. Da mesma forma o museu.

Pagoda de um pilar

Última parada em Hanói. Visitamos também a Pagoda de um pilar. Se trata de um pequeno templo budista construído sob uma só pilastra. O formato do templo lembra um pouco a flor de lótus, flor característica do Vietnã. O mais incrível, entretanto, é que a pagoda original foi construída em meados do século XI. Aos arredores, existem algumas lojinhas onde você pode comprar uma água de coco e sentar para descansar um pouco.

Conclusão sobre Hanói

Enfim, Hanói vai deixar saudades. Fizemos bastante coisas nesses poucos dias que ficamos por lá. Foi o suficiente para ter uma amostra da cultura do Vietnã e de todas as suas particularidades. Recomendo muito que você visite a cidade e abra o seu coração para situações e experiências que vão ao certo te tirar da sua zona de conforto. Enfim, essa é Hanói.

O que você achou?

Adoraria saber sua opinião, sugestões e perguntas nos comentários abaixo.

Oi, me chamo Gabriela Mesquita

Adoro viajar. Sair da vida cotidiana e me jogar em lugares diferentes e viver experiências singulares. Tento mostrar aquilo que senti e vivi nas fotos que tiro e nos textos que escrevo. Enfim, quero que você viaje também, mesmo que dentro da sua cabeça.

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *