O que dizer de Hoi An? Tirando o fato de ser tombada como patrimônio histórico mundial pela Unesco, Hoi An agrada todos os gostos. Paras os amantes da gastronomia, aulas de cozinha e mercados efervescentes de sabores. Para os amantes de fotografia, ruas coloridas e enfeitadas. Para os amantes do mar e descanso, praias belíssimas. E finalmente, para os amantes de história, uma cidade repleta de prédios antigos e tradições. Devido a esses e outros fatos, a cidade recebe milhares e milhares de turistas todos os anos.


Por Assunto:


Como chegamos

De avião, vindos de Bangkok (Don Mueang). Entretanto, não fomos direto para Hoi An. A cidade mais próxima com aeroporto internacional era Da Nang. Então foi isso que fizemos. Compramos as passagens pela AirAsia. A companhia disponibiliza 2 voos diários para Da Nang, um pela manhã e outro de tardezinha. O preço é bem em conta se levado em consideração o tempo de voo entre as duas cidades (1h30). Pagamos cerca de 100 dólares americanos pelo voo.

O transfer entre Da Nang e Hoi An foi reservado no mesmo dia com a empresa Hoian Transfer, minutos antes do embarque em Bangkok. Acho que pagamos 15 dólares para duas pessoas. O motorista era super simpático e ainda recebemos uma ligação perguntando se tudo estava ok. Recomendo!

Onde nos hospedamos

Ficamos por duas noites em Hoi An. A gente se hospedou bem perto da cidade antiga, no Orchids Homestay. Homestays são um pouco diferente de hotéis ou hosteis. Seriam como as nossas pousadas no Brasil. Pagamos a diária de 34 dólares para um quarto de casal super amplo, com um pé direito enorme e uma varandinha bem charmosa. O quarto ainda tinha um grande closet e o café da manhã estava incluso.

O café da manhã foi outro ponto positivo. Tínhamos que escolher o que íamos comer no dia anterior. Optamos por comidas locais, café e suco e não nos arrependemos. Era muita comida e da melhor qualidade. Utilizamos ainda o serviço de lavanderia e transfer deles. Tudo 100%. Recomendadíssimo.

O que fizemos

Cidade antiga de Hoi An

Separa pelo menos uma manhã ou uma tarde inteira para conhecer tudo que a cidade antiga de Hoi An tem para oferecer. Entretanto, se prepare para uma multidão de pessoas. É tanto gente, mas tanta gente, que as ruas ficam abarrotadas de pessoas tentando encontrar a melhor posição para uma foto. 

Tirando o lado super turístico da cidade, ela é uma graça. Lanternas e mais lanternas enfeitam as ruas em diferentes cores. As casas, uma mais linda do que a outra, em sua maioria com arquitetura clássica do Vietnã dão um toque especial. Muitas casas são pintadas de amarelo, uma das cores mais importantes para a cultura local. 

O acesso à cidade antiga não é gratuito, na teoria. Não existem portões de entrada ou pessoas checando quem entra ou quem sai. Você pode perfeitamente entrar na cidade antiga sem pagar um tostão e perambular por lá sem nenhuma preocupação. Entretanto, se você quiser visitar alguma atração, como as Assembly Halls, aí sim, terá que apresentar o famoso ticket, que pode ser comprado aqui.

Antiga ponte japonesa. Foi construída em 1590 como interligação entre as comunidades japonesas aos quarteirões chineses. Sofreu inúmeras alterações ao longo dos anos e hoje conta com características japonesas, chinesas e vietnamitas. Dentro, funciona um templo  dedicado ao deus taoísta do clima.
Interior de uma das Assembly Halls de Hoi An.
Antiga casa de Tan Ky. Essa é a parte de trás, já de frente ao rio Thu Bon. As antigas casas contam um pouco do passado da aristocracia de Hoi An. Vale a pena a visita.

Nosso roteiro pela cidade antiga foi basicamente a visita a Ponte coberta japonesa (Japanese Covered Bridge), as Assembly Halls (escolhemos algumas para entrar, depois da segunda, tudo era meio igual) e as casas antigas (mesma coisa das anteriores, escolha uma e deixa as outras, todas são meio parecidas).

Mercado Noturno

Tire uma ou duas noites para perambular pelo mercado noturno de Hoi An. Funciona diariamente, das 18h às 22h, em toda a extensão da rua Nguyễn Hoàng. Não vá esperando um mercado tradicional. São várias barracas espalhadas pela rua, vendendo comida, lembrancinhas, bebidas, sorvete, etc. A rua também é cheia de restaurantes se você quiser fazer uma pausa e ficar olhando o movimento do lado de fora.

É nesse mercado que funcionam as famosas barracas de lanternas, tão famosas pelas fotos no instagram. São várias barracas bem no início da rua onde os turistas se batem para tirar fotos. Não vá esperando que o vendedores vão ficar felizes somente com a foto.

Festival das lanternas

O festival das lanternas acontece todas as noites de lua cheia em Hoi An. Você encontra as datas exatas facilmente digitando no Google “lantern festival hoi an dates 2017“. Em dias normais, já no início da noite, milhares de lanterninhas (pequenas velas colocadas dentro de caixas de papel) são colocadas no rio Thu Bon. A diferença é que durante o festival, as luzes das ruas são apagadas, fazendo a cidade ser iluminada somente pelas lanterninhas e pela lua.

Nos dias de festival, a cidade fica mais cheia do que o normal. Preferimos achar um cantinho na beira do rio e ficar só observando o vai e vem de barcos e lanternas. Foi extraordinário.

Tirando o lado turístico, esses dias em específico são muito sagrados para os habitantes locais. Durante o festival, é possível ver na porta das casas e comércios várias oferendas. É um dia muito especial.

Cooking Class

Foi um dos pontos altos de Hoi An. Fizemos uma aula de gastronomia em uma das mais famosas Cooking Class de Hoi An, a Red Bridge Cooking School. Pagamos por pessoa por volta de 33 USD por pessoa. O preço incluía a alimentação durante a aula, a aula em si, uma visita guiada ao mercado local de Hoi An, o transporte até a escola e drinks de boas vindas. Optamos pelo pacote de meio período (começando de manhãzinha e terminando por volta da hora do almoço). 

Prato final que também foi o nosso almoço.

Recomendo bastante esse tour pois de fato aprendemos a fazer vários pratos vietnamitas. O professor nos deu as receitas e a cada rodada, ensinava como preparar o prato. Uma equipe ajudava na mise en place dos ingredientes e dos pratos. No final, almoçamos o prato principal que nós mesmos havíamos preparado minutos antes. Tudo isso cercado por árvores e pertinho do rio. Nota 10.

An Bang beach

Foi uma boa surpresa visitar à An Bang beach. Tinha lido vários fóruns e blogs dizendo que as praias perto de Hoi An estavam deterioradas por causa do mar e fiquei receoso em visitá-las. Mas posso dizer que An Bang Beach está em perfeito estado.

Não se compara com a beleza das praias tailandesas, mas não fica longe. Parece bastante as praias do Brasil – água limpa, areia branca, bares e restaurantes na beira da praia, barraquinhas e cadeiras espalhados pela areia, etc. 

Fomos de bicicleta que pegamos na nossa própria homestay. Normalmente as homestays e hotéis da cidade vão disponibilizar tudo isso de graça. O caminho até a praia é lindo. Você passa por vários campos de plantação de arroz e quando chega na praia propriamente dita, você pode deixar a bicicleta com umas senhoras vietnamitas. Elas vão te abordar agressivamente, mas é baratinho e você não vai querer ficar andando com a bicicleta pela praia. Você vai lembrar de mim quando ver uma delas apitando mandando você parar!

Onde comemos

  • Mercado de Hoi An: Não podia deixar de citar o mercado local de Hoi An. Além do tour que fizemos no dia da Cooking Class, visitamos por nós mesmos algumas vezes para comprar frutas. Tinha de tudo e o preço era ok. 
  • Cafe Ms Hue. Foi onde comemos o nosso primeiro Pho Bo no Vietnã. Estava com tanta espectativa de comer a minha comida vietnamita preferida no país de origem que no fim, acho que não foi lá essas coisas. O Pho Bo era bom, mas não era excepcional. Esse restaurante fica bem em frente as barraquinhas com as lanternas. A comida é barata e em geral, vale a pena.
  • Bánh Mì Phượng. Melhor Banh Mi do mundo segundo várias pessoas. Ao chegar, uma fila já estará formada do lado de fora. Funciona como um Subway. Você chega, pede o Banh Mi e recebe no final. A escolha não é tão difícil: o cardápio tem fotos e é só apontar o dedo. Foi de fato o melhor Banh Mi que comemos em toda a viagem. Suculento, bem temperado, com várias camadas de sabor. Recomendadíssimo.
  • Cactus Restaurant: Foi o nosso segundo jantar em Hoi An, depois de andar bastante pra encontrar um lugar legal. Tentei mais uma vez o Pho Bo. Estava melhor do que o do dia anterior, mas ainda não era o que me levaria para o céu. 
  • Orchids Homestay. Essa foi a nossa homestay. O café da manhã era incluso no preço da diária. Era só escolher no dia anterior o cardápio e esperar pelo dia seguinte. Tudo que comemos estava fantástico. Dava pra ver que era comida caseira, com gostos bem marcantes.

Conclusão sobre Hoi An

Hoi An é um lugar que tem potencial pra agradar todo tipo de pessoa. A cidade oferece muitas opções e é sem dúvida um ponto obrigatório no seu roteiro. Foi um dos lugares mais tranquilos que visitamos no Vietnã e já deixou saudade.

Deixe seu comentário!

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *