Nosso Roteiro pelas Ilhas Galápagos – Ilha de Santa Cruz

Ficamos 3 dias em Santa Cruz e achamos o suficiente para conhecer por completo as principais atrações da ilha. Conhecemos as principais praias, demos um rolê em Puerto Ayora e conhecemos a famosa Estação Científica Charles Darwin. Planejamos também visitar…

Ficamos 3 dias na ilha de Santa Cruz, Galápagos, e achamos o suficiente para conhecer por completo as principais atrações da ilha. Conhecemos as principais praias, demos um rolê em Puerto Ayora e conhecemos a famosa Estação Científica Charles Darwin. Planejamos também visitar um das fazendas para observar as tartarugas gigantes, mais o passeio melou aos 45 minutos do segundo tempo.


Por assunto:

  1. Como chegamos
  2. Onde nos hospedamos
  3. O que fizemos

Como chegamos

Voo de Quito (com escala em Guayaquil) até Baltra, uma pequena ilha ao norte de Santa Cruz. Todo o trajeto foi feito com a companhia Tame. Já adianto que o preço da passagem vai te desanimar um pouco. Fizemos a estratégia de chegar por Santa Cruz (Baltra) e ir embora de Galápagos por San Cristóbal. Assim, ganharíamos tempo e poderíamos aproveitar mais cada ilha.

Onde nos hospedamos

Em Santa Cruz, nos hospedamos no Galápagos Best Hostel. O local é bem simples e bem afastado do centro de Puerto Ayora (uns 20 minutos de caminhada), principal cidade da ilha de Santa Cruz. Entretanto, gostamos bastante do hostel. Era limpo, água quente e os quartos privados tinham uma mini cozinha. Fizemos o café da manhã todos os dias que ficamos em Santa Cruz. Valeu a pena!

O que fizemos

Santa Cruz foi de longe a ilha com a melhores praias. Além disso, é a ilha mais desenvolvida do arquipélago, então, você vai encontrar mais opções de restaurantes, comercio, agências, etc.

Puerto Ayora

A maior cidade de Galápagos, também a mais desenvolvida. Puerto Ayora é o ponto de partida para quem quer conhecer tudo em Galápagos. Agências de viagens estão espalhadas por várias ruas. Uma das ruas principais, a Av. Charles Darwin, você vai encontrar inúmeras opções de restaurantes, dos mais ocidentais até os mais tradicionais. Nós, por outro lado, amamos a Av Binford. A rua concentra vários restaurantes de comida local. De noite fica super movimentada. Se você quer um almoço com um precinho mais amigo ( por volta de USD 5.00), é lá que você vai encontrar.

Outro destaque é o Mercado de Peixes de Puerto Ayora. É lá que os barcos carregados de pescado chegam para serem pesados, lavados e revendidos. Mas a clientela não é só de pessoas. Toda a fauna de Galápagos se reune por lá: leões marinhos, pelicanos, pássaros, iguanas, etc. Todo mundo esperando a oportunidade perfeita para roubar um pedaço de peixe. Vale a visita.

Tortuga Bay e Playa Mansa

Tortuga Bay. As ondas eram mais intensas. Vimos vários surfistas por lá.
Tortuga Bay. As ondas eram mais intensas. Vimos vários surfistas por lá.

Pegando uma trilha de 2 km por dentro da vegetação típica de Galápagos, você vai acessar primeiramente Tortuga Bay, uma praia onde o banho não é recomendado, mas que é linda mesmo assim. O acesso a praia é gratuito. A areia é branquinha e o mar azul claro. Várias iguanas passam constantemente por você e em algumas pedras, você vai poder ver os famosos caranguejos vermelhos de Galápagos.

 Playa Mansa. Dá pra entender o nome, não dá?
Playa Mansa. Dá pra entender o nome, não dá?

Andando mais um bocadinho, você vai chegar no ponto alto de Puerto Ayora, a Playa Mansa. Tire pelo menos metade de um dia para relaxar nessa praia. A água é bem calma e você pode ficar um tempinho na areia, perto das árvores, só relaxando. O único problema, é que a praia pode ficar cheia a partir do final da manhã.  

Las Grietas e Playa los Alemanes

Playa Los Alemanes, Ilha de Santa Cruz, Galápagos.

Normalmente, você vai fazer Las Grietas e Playa los Alemanes em uma só tacada. Pra chegar lá, você vai ter que pegar um barco no porto de Puerto Ayora por USD 0.5 (em 2019) que vai te levar até um hotel/restaurante. Descendo, é só seguir a plaquinha que indica “Las Grietas” que não tem erro. 

Você vai passa primeiro pela Playa Los Alemanes. Ela é bem pequenininha, mas muito linda. Ficamos sentados alguns minutos olhando a paisagem e pudemos ver, sem entrar na água, vários peixes e duas arraias que passavam tranquilamente entre os banhistas. Depois de percorrer uma trilha bem curta, você vai chegar em Las Grietas. Um pedaço de mar localizado entre dois rochedos enormes, ideal pra se refrescar rodeado de peixes.

Playa El Garrapatero

Essa praia fica mais afastada de Puerto Ayora. Pra chegar lá, tivemos que pegar um táxi que nos custou, ida e volta, por volta de 30 dólares. A praia é maravilhosa. O taxista te deixa em um estacionamento (combine o horário da volta) e você tem que andar por uns 15 minutos antes de chegar na praia propriamente dita.

Playa El Garrapatero, Ilha de Santa Cruz, Galápagos.
Playa El Garrapatero.

O lugar é um paraíso. Quando fomos, vimos alguns leões marinhos (um inclusive dormia a menos de 2 metros das nossas mochilas), pelicanos, iguanas e uma garça cinza linda. Além disso, se você quiser, você pode alugar caiaques que ficam disponíveis na entrada da praia. Não chegamos a perguntar os preços, mas fica a dica.

Estação Científica Charles Darwin

Estação Científica Charles Darwin, Ilha de Santa Cruz, Galápagos.

Fica pertinho de Puerto Ayora e dá pra ir andando mesmo. Lá funciona um centro de pesquisa e recuperação de plantas e animais. O centro é aberto ao público e a entrada é gratuita. Dentre as principais atrações, você vai poder visitar um pequeno museu da biodiversidade das ilhas de Galápagos; vai poder ver o George, a tartaruga mais famosa de Galápagos que morreu em 2012 (ele foi empalhado e se encontrar em uma câmara resfriada para sua preservação); e vai poder ver inúmeras tartarugas gigantes e iguanas que estão sob cuidado do centro. Vale muito a pena a visita.

Conclusão sobre a Ilha de Santa Cruz

A Ilha de Santa Cruz nos surpreendeu bastante. Lá você encontra de tudo, boas praias, comida boa e muito, mas muito contato com o meio ambiente. Um lugar onde a vida selvagem consegue viver em quase-harmonia com os homens. Um lugar inesquecível.

Gostou desse conteúdo?

Você acha que esse post pode ser útil pra alguém? Compartilhe! E olha, o post não acaba por aqui. Estamos curiosos pra saber as suas sugestões, opiniões e dúvidas aqui embaixo nos comentários!

Quer apoiar o Férias Contadas?

Você ajuda a gente a continuar publicando conteúdo de qualidade através de uma pequena comissão gerada quando você reserva um hotel ou fecha o seguro de viagem usando os links abaixo!

Hospedagem: Booking.com
Seguro de viagem: WorldNomads
Dinheiro no exterior: TransferWise

Deixe um comentário!

Faça parte da Comunidade Férias Contadas!

Que tal ser avisado de todas as novidades do Férias Contadas e das nossas viagens pelo mundo?

Basta se cadastrar na nossa newsletter.