Decidimos de última hora que seria o momento de encarar a nossa primeira montanha nos Estados Unidos. Pra começar, nada menos do que a maior montanha do estado de Vermont, a duas horas de Montreal. O nome? Mount Mansfield, com 1339 metros de altura, desnivelamento de mais de 700 metros e localizado no Underhill State Park. Desafio perfeito logo após o nosso retorno da Walker’s Haute Route na Suíça.


Leia Mais


Saímos de casa bem tarde. Eram 8h30 da manhã, com mais duas horas de carro, o plano seria começar a trilha somente ao meio dia. Arrumamos as coisas bem rápido, preparamos os lanches, colocamos tudo nas mochilas, tomamos café da manhã e logo estávamos na estrada. Após um hora rumo ao sul, saindo de Montreal, chegamos na fronteira com os Estados Unidos. A fila estava grande. Muitos canadenses aproveitaram o último dia quente do verão para passear nos Estados Unidos. Das duas horas planejadas de transporte, fomos ingênuos e não consideramos o tempo de imigração.

World Nomads

Vai se aventurar por aí? Faça seu seguro de viagem com a WorldNomads.com.

Bom, um hora de espera e era a nossa vez. Depois de responder as perguntas típicas da imigração americana (e algumas não tão típicas assim…), estávamos novamente na estrada, rumo ao Mount Mansfield. Da fronteira até o estacionamento do parque, seriam mais uns 40-50 minutos. Paramos também no caminho para abastecer e sacar alguns dólares pra pagar a entrada do parque (4 USD por pessoa – estacionamento gratuito).

É bom dizer que existem vários acessos ao parque. Como escolhemos a trilha Sunset Ridge, o estacionamento era pelo lado oeste da montanha. Mas se você quiser subir de teleférico e de lá ir ao cume, o acesso é pelo lado leste da montanha. Dito isso, quando chegamos no estacionamento, vimos uma fila de carros já estacionados fora do parque e alguns funcionários ajudando na organização. Chegar tarde tem suas desvantagens, uma delas é não ter estacionamento perto do início da trilha.

Começando a trilha Sunset Ridge

Do carro até a entrada do parque foram uns 10 minutos de caminhada. Paramos no guichê da administração, logo à direita da entrada principal, pra pagar nossas entradas. Foram 4 USD por pessoa. Recebemos uma cópia do mapa da trilha e alguns conselhos. A trilha Sunset Ridge é a mais popular do parque por causa das vistas. O pessoal da administração também comentou que a trilha XXX era mais íngreme e perigosa, que o ideal era não descermos por ela.

Início da trilha Sunset Ridge até o cume do Mount Mansfield. Essa trilha é a mais utilizada pra chegar até o cume.

Saindo do guichê, subimos por uma trilha no meio da mata, que cortava a estrada usada pela administração do parque. Depois de uns 15 minutos, chegamos na entrada da trilha propriamente dita. De lá, foi quase 1 hora de subida em mata fechada e bem úmida. Diferente de várias trilhas que fizemos aqui no Quebec, tivemos poucos trechos de descanso (retas e pequenas descidas). A subida era quase que contínua.

A gente aproveitou esse lugar pra comer alguma coisa e descansar um pouco antes de continuar até o cume.

Um hora depois, chegamos ao nosso primeiro viewpoint, uma clareira na mata com uma pedra imensa. A gente aproveitou pra sentar, descansar e lanchar. A gente precisava daquele momento pra renovar as energias. Até ali, o hiking estava bem gostoso. Continuaria assim. Adoro quando encontro uma montanha que a trilha te traz prazer acima de tudo. De lá, tivemos a primeira bela visão do dia. A vista era linda, e só era metade do caminho. Perguntamos pra uma pessoa que passava se faltava muito até o cume e ela disse que mais uns 45 minutos. Não era muito, bastava continuar.

Depois de passar por uma parte em floresta densa, a trilha Sunset Rigde passa por uma área super rochosa.
Último dia de calor intenso do ano. As árvores estava quase todas verdes, mas já dava pra ver que o outono estava chegando.

Bom, continuamos em frente, ou melhor, pra cima. Dalí pra frente, a trilha foi ficando mais difícil. As pedras era maiores e quase nenhuma vegetação. Quase não usamos os trekking poles, as mãos eram mais eficazes pra passar as pedras enormes e passagens estreitas. Na sessão anterior ao cume, uma subidona de pedra de onde já era possível ver o cume e até mesmo as pessoas lá em cima, mesmo que bem pequenininhas. Na nossa experiência, ficar feliz com isso seria um grande erro. Focamos nos passos seguintes, nos objetivos de curto prazo pra tentar gerir um pouco a expectativa de chegar ao cume.

Vista dos dois cumes. A gente ainda teve que contornar o primeiro (mais à frente) pra chegar no cume propriamente dito.
Vista incrível, não?

Tiro e queda. A subida era imensa. Subimos aquele paredão de pedra por uns 30 minutos até chegar em uma sessão que contornava um dos cumes e dava acesso à parte alpina da trilha. De lá seriam poucas centenas de metros até o cume. A vista só foi melhorando. Já estávamos na altura das nuvens. Cada vez que virávamos pra olhar, a gente dava um suspiro. Era sem dúvidas o melhor hiking que fizemos nos arredores de Montreal. Mount Mansfield, seu lindo!

Alguns metros do cume, um aviso informava que a gente estava em uma área de vegetação muito delicada. Era proibido caminhar fora da trilha e das rochas.

Depois de uma subida tranquila na área alpina do cume, enfim, a gente tinha chegado lá. Fomos recepcionados por um funcionário do parque que nos deu os parabéns por ter chegado ao cume. O local, por sinal, estava bem cheio. Algumas áreas estavam fechadas pra preservar a vegetação, bem sensível. A gente achou um espaço por ali, sentou pra almoçar e curtir a vista (incrível, umas das mais lindas que vimos por essas bandas).

Lá de cima, a gente conseguia ver todas as montanhas ao redor. Vista privilegiada!

O vento forte que é comum no cume não apareceu e a sensação de calor estava bem forte no último dia de verão do ano. Foi o dia perfeito! Iniciamos a descida e duas horas depois, estávamos na entrada do parque, cansados, mas bem felizes. Foi um retorno de ouro depois da Walker’s Haute Route.

Mais informações:

Sites úteis: 

Como chegar: Carro. Seguem as coordenadas do estacionamento: 47.854454,-70.4317735

Horário de funcionamento: 09:00 às 19:00 (de 25 maio até 14 de outubro).

Custo: cerca de 4 USD por pessoa (estacionamento gratuito).

Dificuldade: moderada à difícil.

O que levar: tênis e roupas apropriados para hiking e para a época do ano correta. Bastões de trekking são recomendados. Leve um lanchinho (pão, bolo, barra de cereal, banana, etc.) e pelo menos 1 litro de água. Repelente para mosquitos e protetor solar também são importantes, principalmente no verão!

Deixe seu comentário!

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *