Planejamos sair de casa por volta das 4 horas da manhã, mas o despertador só tocou às 6h (sei!). Arrumamos as coisas na correria. Teríamos 420 quilômetros de estrada até a Montagne des Érables, mais conhecida como Acropole des Draveurs. O complexo de montanhas é uma das mais belas formações rochosas do Canadá e está localizada no Parc National des Hautes-Gorges-de-la-Rivière-Malbaie, pertinho da cidade de Québec, no Canadá.


Leia Mais


Horas de estrada depois e enfim chegamos ao estacionamento externo do parque. Com os ingressos já em mãos (compramos online no site da Sépaq, 8 dólares canadenses por pessoa). O parque disponibiliza uma navette gratuita (como eles chamam esses ônibus escolares americanos por aqui) que levam as pessoas para as várias paradas do parque. Isso evita um fluxo exagerado de carros dentro da reserva.

Fizemos a mais longa e a mais difícil das trilhas, o Sentier de Draveurs, que leva ao cume da Montagne des Érables, ou melhor aos cumes (você vai entender mais tarde). Depois de algumas paradas, a navette parou no início da nossa trilha, mas antes de descer, uma funcionária do parque deu rapidamente algumas instruções. Quase não deu tempo de terminar e já estávamos fora do ônibus prontos para começar.

Trilha do Sentier des  Draveurs, Parc National des Hautes-Gorges-de-la-Rivière-Malbaie.
Trilha do Sentier des Draveurs, Parc National des Hautes-Gorges-de-la-Rivière-Malbaie.

Mesmo sem muita sinalização, não era difícil se manter no caminho certo. A trilha era bem limpa. Entretanto, o nível de dificuldade era maior do que o esperado. Nos primeiros minutos de subida (um verdadeiro zigue-zague), o corpo agonizou um pouco, pediu ajuda, sem entender o grau de dificuldade da subida. As pernas doíam e o fôlego não estava em um dos seus melhores dias. Pra completar, a gente era os primeiros da fila que se formava pra trás, portanto a gente tinha que manter o ritmo constante, sem desacelerar. A trilha era estreita e qualquer ultrapassagem poderia ser bem perigosa.

Depois de certo tempo, o corpo entendeu melhor o que estava acontecendo. A performance foi se adequando e o ritmo ficou satisfatório. Já não nos importávamos muito com a trilha em si. A mente já havia controlado o corpo e agora estávamos focados no objetivo final.

Rumo aos três cumes da Montagne des Érables

Sim, três cumes, você ouviu direitinho. Finalmente estávamos no primeiro deles depois de algumas horas de caminhada. A vontade era de parar e descansar, mas isso poderia nos desanimar de conhecer os demais, que ficavam à alguns quilômetros de distância dali. A paisagem com certeza só ia ajudar a elevar o animo até os outros cumes. Posso dizer que dali pra frente, foi a parte da trilha mais fora do comum. Parecia que estávamos em um paraíso. Era precipício de um lado e do outro, uma grande pradaria com vegetação rasteira no topo, bem verdinha, interrompida por rochas enormes. Parecia cenário do Senhor dos Anéis.

No topo da Montagne des Érables.
No topo da Montagne des Érables.
Fala se não parece cenário dos Senhor dos Anéis.
Fala se não parece cenário dos Senhor dos Anéis.

Depois de “conquistar” o cume mais alto, voltamos em direção aos cumes inferiores, parando no primeiro, onde encontramos uma pequena rocha com vista privilegiada para o vale (imagem acima). Nos sentamos, abrimos a mochila, tiramos a comida e ficamos ali por quase 30 minutos. Foi uma experiência e tanto. Só de lembrar me sinto como se estivesse lá ainda e me lembro do silêncio e da paz que sentimos.

Mais informações:

Sites úteis: 

Como chegar: Carro. Seguem as coordenadas do estacionamento: 47.854454,-70.4317735

Horário de funcionamento: Aberto durante todo o ano (sem horário de funcionamento definido).

Custo: cerca de 8 dólares canadenses por pessoa. Transporte dentro do parque gratuito.

Dificuldade: moderada à difícil.

O que levar: tênis e roupas apropriados para hiking e para a época do ano correta e bastões de trekking. Leve um lanchinho (pão, bolo, barra de cereal, banana, etc.) e pelo menos 2 litros de água. Repelente para mosquitos e protetor solar também são muito importantes, principalmente no verão!

Deixe seu comentário!

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *