Cap 360, uma visão panorâmica das Laurentides


Mais uma escapada aos arredores de Montreal. Dessa vez, fomos um pouco mais longe, cerca de 1h50 minutos de carro (153 km) rumo ao norte do Québec. O nosso destino seria o Cap 360, cume da montanha Caribu, localizado na região das Laurentides. A elevação máxima é de 445 metros. A trilha que leva ao cume, e posteriormente ao Monte Gorille, faz parte do chamado Sentier Nacional, um conjunto de trilhas que atravessa a província de Québec.

Existem várias formas de ir ao Cap 360. Muitas pessoas aqui fazem ambos, o Cap 360 e o Monte Gorille em um único dia (por volta de 7 horas de trilha, cerca de 18 km). Entretanto, existem opções de fazer só o Cap 360 ou o Monte Gorille. O mapa completo da trilha (que é única e de duplo sentido) você encontra aqui.

✅ Dica: Ao invés de começar a trilha na cidade LaBelle (quilometro 0), recomendo que você comece do quilometro 5. Essa foi uma santa dica que vimos em vários sites de hiking aqui do Québec (e foi muito, mas muito útil 😍). É possível estacionar o carro as margens do lago Petit Lac Caribu. O motivo? Os primeiros 5 km de trilha são desinteressantes. Chegado direto no quilometro 5, você vai poupar energia que pode ser usada na subida ao Cap 360 ou até mesmo se você tiver interesse em fazer também no mesmo dia o Monte Gorille. Informo as coordenadas exatas do estacionamento no final do artigo 👍.

Já na frente do estacionamento é possível ver sinalizações e placas indicando as direções da trilha. Vá em direção ao Mont Gorille, não tem erro, você vai passar pelo Cap 360 por volta do quilometro 8.

Placa indicando as direções bem no início do quilômetro 5.
Placa indicando as direções bem no início do quilômetro 5.

Falando na trilha, ela é bem sinalizada e é a mesma trilha pra ir e para voltar. Vá em direção aos pequenos retângulos vermelhos e brancos. Vou confessar que as vezes não dava pra ver direito o próximo retângulo nas árvores, mas depois de um pouco de procura, sempre encontrávamos eles.

Saímos bem cedo de Montreal. Assim como no Mont Saint-Hilaire (veja o relato aqui), esperávamos muita concorrência se chegássemos tarde, então não pensamos duas vezes e fomos bem cedo. Chegamos por volta das 11h da manhã no início do quilômetro 5. A nossa primeira surpresa foi que só haviam 3 carros, contando com o nosso! Estacionamos o carro e na saída sentimos um silêncio que não sentíamos há muito tempo.

Estacionamento localizado no quilômetro 5.
Estacionamento localizado no quilômetro 5.

Pegamos a direção “Mont Gorille” e iniciamos a trilha ao Cap 360. A partir do estacionamento, depois de uma pequena estrada de chão, já tem subida bem puxada e quase nenhum descanso. Pra ajudar um pouco, optamos por usar os bastões de caminhada. Eles foram muito úteis durante toda a trilha, principalmente na descida.

Chegando ao Cap 360 (445 m)

A trilha até o cume foi quase toda em silêncio. Passamos por 2 casais, ambos com filhos e foi toda a companhia que tivemos até o cume. A região é bem selvagem. Vimos muitos esquilos e pássaros e apostamos que poderíamos ver veados e ursos, mas não foi o dia. Os pinheiros estavam super verdes, assim como a grama. A trilha só estava enlamaçada no início, ficando bem seca e tranquila até o cume.

Por volta do quilômetro 7, já é possível ver a vista da região (Laurentides) e ter acesso à alguns miradores, com vistas privilegiadas.

Chegando ao cume que fica após uma grande rocha, é só questão de escolher o lugar para sentar, comer, descansar e tirar fotos. Ficamos lá por uma hora, só aproveitando a vista. Aproveitamos também para almoçar.

Mais informações:

Sites úteis: 

Como chegar: Carro. Seguem as coordenadas do estacionamento: 46.2965151 / -74.7261328. Esse local vai te fazer economizar 5 km de trilha sem graça e te colocar já no quilometro 5. Isso pode ajudar se você for fazer tanto o Cap 360 quanto o Monte Gorille no mesmo dia.

Horário de funcionamento: Aberto durante todo o ano e sem horário de funcionamento. Existe áreas de camping se você quiser acampar por lá.

Custo: gratuito.

Dificuldade: fácil à moderada.

O que levar: tênis e roupas apropriados para trekking e para a época do ano. Bastões de trekking são aconselhados, mas não são obrigatórios. Leve um lanchinho leve (pão, bolo, barra de cereal, etc.) e pelo menos 2 litros de água.

O que você achou?

Adoraria saber sua opinião, sugestões e perguntas nos comentários abaixo.

Oi, me chamo Marcos Amaral

Viajar pra mim sempre foi mais do que somente ir para outro lugar, tirar fotos ou contar o número de países que já visitei. Pra mim, viajar é viver experiências, sentir sensações únicas. Adoro escrever sobre elas. Mais do que um relato, tento traduzir o que vivi pra fazer você viajar comigo. Sou casado com a Gabriela e hoje, viajamos pelo mundo em busca de experiências únicas.

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *